domingo, 26 de abril de 2020

O Borracheiro e os grampos




O BORRACHEIRO E OS GRAMPOS

            Havia no reino da existência uma terra que parecia de ninguém, todos que nela chegavam se apossavam sem justificar de onde vinham, a origem dos seus bens, e o que queria. Ali faziam suas vidas no mistério de origem.
Num desses tempos perdido em um lugar sem dono, apareceu um casal misterioso que se instalou no meio do nada, e construiu uma palhoça com o material que tinha por ali.
Pensaram numa venda de comida, isso sabiam fazer bem, mas quem iria comprar, se não havia quem por ali passasse. Pensaram em construir uma estrada, e logo receberam ajuda dos seus compatriotas.
Em pouco tempo estrada feita, venda erguida. A estrada encurtava caminho, mas poucos eram os que paravam na sua venda. O negócio não lhe rendia.
Pensou, como pensam os seus de origem, num jeito de obter lucro fácil, e naquela estrada de terra mandou construir um barreiro logo após o seu ponto de venda. Jogou água, criou lama e o passar ficou lento. Um carro de cada vez. Se chovia o negócio prosperava, se não chovia ele contratava carroças d’água dos seus comuns, e o negócio ressurgia.
Assim o homem do outro lado do mundo fazia fortuna, mas a riqueza não era só sua. Uma parte tinha que mandar de volta ao país de origem, e outra parte dividir com os companheiros  das carroças.
Um dia, porém, o tempo mudou, e quem estava cansado de parar no barreiro e gastar  na única venda da estrada se sentiu explorado, e pediu mudança. Mudanças vieram: fechou-se o barreiro, asfaltaram a estrada.
No novo tempo os carros não mais paravam na tenda da exploração, tinham encontrado caminhos melhores para seguir.
Sem saber o que fazer com a queda das vendas, apelou para os agora, caçambas d’água, e em palácio secreto resolveu confabular com os seus maquiavélicos pensadores. Ideias de gênios do mal fervilharam na reunião, e a mais cruel foi instalada: A Borracharia.
A venda de comida foi fechada. Instalaram uma borracharia. Veio equipamento, materiais,  e técnico do país do invasor. Tudo pronto era só começar a trabalhar.
Não havia trabalho. Os carros não paravam, o progresso matava a economia do borracheiro.
Nova consulta ao grupo maldito. Agora o plano era perfeito.
Sem pressa preparou o equipamento, ampliou instalações, trouxe os seus compatriotas, montou sua equipe. Agora era só esperar o resultado, os grampos já haviam sido instalados na estrada.
Não demorou a se amontoar carros de pneus furados. Os mais atingidos eram os mais velhos, pois eram mais frágeis, os mais novos resistiam e chegavam às borracharias das cidades vizinhas.
Espalhou-se pânico e terror, ninguém poderia mais passar por outras estradas, todos bloqueadas. As outras borracharias foram fechadas, material confiscado, borracheiros presos. Os remendos alternativos não eram permitidos.
Ninguém mais consertava, só o borracheiro da estrada dos grampos.
Como já sabia dos grampos, não faltou material, até já havia negociado com seus compatriotas as imensas remessas de compressores, remendos, pneus novos e tudo mais, tudo superfaturado, com a devida comissão aos seus apoiadores.
Queriam acabar com quem mandou fazer o asfalto na estrada...
Mas o tempo novo mostra que ainda há muitas estradas para serem asfaltadas, e muitos grampos para serem recolhidos.
                                                        Lucarocas
                                                  Mestre da Cultura

Fortaleza, 23 de abril de 2020.

Lucarocas (85) 99625-4731 (WhatsApp) mestre@lucarocas.com.brwww.lucarocas.com.br


sábado, 25 de abril de 2020

Editora Lucarocas Artes e Letras




Editora Lucarocas Artes e Letras
Somos mais que uma editora. Somos sonhos que se realizam.
Há em quem escreve o desejo de ver o seu texto publicado, e a nossa função é fazer esse desejo realizado.
Como fazemos isso?
Simples!
O nosso trato é direto com o autor com a mesma sintonia de quem sonha.
Fazemos tiragem de poucos exemplares de acordo com o orçamento do autor.
Barateamos o preço do volume após a primeira remessa.
O nosso preço inicial é dividido em pequenas parcelas. Tudo para que o autor realize o sonho de publicar o seu livro.
Somos registrados e temos todas as legalidades que um livro pede.
Temos condições diferenciadas para publicação de Trabalhos Científicos.
Visite nossa página: https://lucarocasarteseletras.com
Faça contato: (85) 99985-7789 – 98856-5654 (WhatsApp)
Faça parte dos sonhadores de sonho realizado.
Aguardamos você.
                           Lucarocas A Arte de Ser









quarta-feira, 15 de abril de 2020

VIVENDO COM A QUARENTONA


VIVENDO COM A QUARENTONA
                              Autor: Lucarocas

Eu estou de quarentena
Vivendo com a quarentona
Uma bonita morena
Muito jeitosa essa dona
Vivendo dentro de casa
O meu amor se abrasa
Por ela então se apaixona.

Estou vivendo de amor
Somente no relaxar
Não tenho sofrer nem dor
No aconchego do lar
Só há carinho e afeição
Num amor em perfeição
Nesse meu vivenciar.

Me sinto então bem feliz
Nos braços da minha amada
Eu escuto o que ela diz
Lhe ajudo na jornada
E a nossa epidemia
É só amar e alegria
Felicidade e mais nada.

Não vejo televisão
Pra não me contaminar
Com a falsa informação
Que nos quer apavorar
Prefiro ficar quietinho
No amor e no carinho
Do gosto de namorar.

Um livro eu gosto de ler
Com ela ali ao meu lado
No seu olhar posso ver
Um lume bem prateado
Às vezes sinto nos pés
Carinho de cafunés
De alguém apaixonado.

Nosso viver é assim
Formando um casal perfeito
Ela cuidando de mim
E eu feliz desse jeito
Esqueço o mundo lá fora
Pois nosso amor só aflora
Florindo dentro do peito.

A gente só agradece
Essa nossa relação
Há o momento de prece
De paz e reflexão
E em nosso conviver
Rezamos para vencer
Toda e qualquer aflição.

E assim o que parece
Ser tempo de eternidade
É um momento de prece
De paz e fraternidade
Que a gente está construindo
E assim evoluindo
No seio da humanidade.

Espero que nunca acabe
Esse momento de amor
Pois no meu peito não cabe
Nem um sofrer nem rancor
Queremos viver de luz
E o amor do mestre Jesus
Sendo nosso protetor.

Assim o tempo passando
Nessa grande pandemia
No sonho fui formatando
A relação que eu queria
Mas a mulher que sonhei
Com ela não acordei
No raiar daquele dia.

Fortaleza, 13 de abril de 2020.

LUCAROCAS
(85) 98897-4497 (Whats)


Visite nossos Canais:

Site:

Blog:

Editora:

Rádio:

Loja:








segunda-feira, 2 de dezembro de 2019


LANÇAMENTO DO LIVRO DO LUCAROCAS A ARTE DE SER

ENCONTRO ALMA E CORAÇÃO
               Autor: Lucarocas

É na força do encontrar
Que existe a emoção
De um desejo de plantar
Semente de evolução
Que se tratando com calma
Semente brota na alma
E cresce no coração.


            Encontre-se... Palavras de Coração, Sentimento de Alma é o novo livro do Lucarocas.
Um livro surpreendente onde verso e prosa se alinham em uma poesia afinada com as emoções do coração, e o sentimento da alma.
            O livro traz textos leves com temas que vão ao encontro do sentimento do leitor. Reflexões que mostram a validade da vida numa esperança de fé e felicidade.
            Manufaturado pelo próprio autor, cada livro é montado quase que por encomenda de cada leitor. Cada exemplar é montado folha a folha com um carinho de quem semeia esperança para uma colheita de paz. Cada exemplar é embalado como quem quer presentear pessoas únicas.
            São poucos livros para muitos leitores, razão que pedimos confirmar presença através do WhatsAapp (85) 99985-7789.
            Lançamento dia 05 de dezembro de 2019 às 19 horas. Segundo piso do Shopping Benfica -  Av. Carapinima, 2200 – Fortaleza – Ceará.
            Todos Convidados.



terça-feira, 19 de novembro de 2019

Noite do Livro do Náutico


NOITE DO LIVRO DO NÁUTICO
Náutico Atlético Cearense
Coordenação: Assis Almeida, Lucarocas, Silas Falcão

Realização:
FLINAU – Feira do Livro do Náutico
Apoio: Náutico Atlético Cearense


            A Noite do Livro do Náutico busca promover o encontro de escritores, leitores e amantes da leitura e da literatura numa performance de confraternização em torno do livro.
            Realizar a arrecadação de livros de autores cearenses para a composição da Biblioteca do Náutico.
            Inaugurar a Biblioteca do Náutico
            Fazer a divulgação e entrega dos prêmios do Concurso de Cordel do Náutico.
            Homenagear parceiros que contribuíram para e execução do concurso de cordel.
            Anunciar a intenção do lançamento da FAPNAU – Feira de Arte Popular do Náutico para o ano de 2020.
            A Noite do Livro do Náutico acontecerá no dia 12 de dezembro de 2019, das 19:30 às 22:30 nas dependências do Náutico Atlético Cearense na Av. da Abolição, 2727 - Meireles – Fortaleza – Ceará com entrada gratuita para todos os públicos.
            As inscrições são gratuitas para os escritores que desejarem fazer parte da Noite do Livro do Náutico. O escritor que desejar participar deverá doar um, ou mais livros para compor a Biblioteca do Náutico.
            Na ocasião os escritores terão a liberdade de comercializar os seus livros, assim como permutá-los.
            Haverá apresentações musicais, e performances literárias.
            Restaurante aberto ao público.
            Inscrições até o dia 30 de novembro através do e-mail: lucarocasescritor@gmail.com ou (85) 99985-7789 (Whats)


Serviços;

Feira do Livro do Náutico
Quinta: 12 de dezembro de 2019.
Horas: Das 19:30 às 22:30           
Local: Náutico Atlético Cearense
Av. da Abolição, 2727 - Meireles
Fortaleza – Ceará
Doações e trocas de livros
Apresentações Musicais
Performances Literárias
Entrada Franca
Inscrições até 30 de novembro de 2019.
lucarocasescritor@gmail.com ou (85) 99985-7789 (Whats)


                                              


terça-feira, 6 de agosto de 2019

Lucarocas O Poder do Encontro



O PODER DO ENCONTRO
                                                                                 Lucarocas A Arte de Ser

            Encontro é energia que atrai seja pelo simples motivo do acaso, seja pelo acaso do motivo. Motivos são desculpas tolas para não se fazer encontros. A vida sem encontros são caminhos sem cansaço, são cansaços sem ombro para apoiar.
            Os encontros existem para se pintar sorrisos, enxugar lágrimas, recordar abraços, criar amores, fazer sonhar.
            Mesmo que nos encontros sejam falsos os sorrisos, frios os abraços, e os olhares desviados, mas há a energia da existência de vidas, e essa existência é que nos faz acreditar que um dia, os sorrisos se tornem verdadeiros, os abraços calorosos, e os olhares brilhantes  no olhar do outro.
            São nos encontros da dor do outro, que descobrimos que a dor da gente dói mais. São nos encontros da alegria do outro que, percebemos que podemos ser alegres.
            As grandes emoções estão na alma, e dificilmente se manifestam na solidão de cada um.
Precisamos de encontro para semear esperanças e colher bondades. Precisamos de encontros para fortalecer a nossa própria existência.
             O grande poder do encontro é descobrir que ao encontrar com o outro, precisamos, mais ainda, encontrar com nós mesmos.
            Que tenhamos muitos motivos para nos encontrar.
            Até o próximo encontro.